Opinião: 'Lula será o candidato do PT à Presidência em 2018'

, , No Comments
Mesmo às voltas com 5 processos judiciais, 2 deles no âmbito da Operação Lava Jato, o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva vê cada vez mais forte a possibilidade de se lançar candidato à Presidência da República em 2018.

Lula tem falado de sua possível candidatura em 2018 em diversas manifestações públicas em que confirma a retomada da atividade política. Ainda que eventualmente condenado, ele poderia impetrar recurso contra uma condenação em juízo de primeiro grau e aguardar decisão colegiada superior, de modo a definir seus rumos para o próximo ano.
Para o Deputado Federal Vicente Cândido (PT-SP), a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência em 2018 é a única saída para a crise em que o país está mergulhado:
"Temos pesquisas mostrando que 62% da população consideram Lula como grande favorito à Presidência da República na eleição do próximo ano, e ele está sendo vítima de perseguição política com tantos processos judiciais movidos contra o ex-presidente. Evidente que uma eventual condenação enfraqueceria seus planos de concorrer à Presidência, porém nem Lula nem nós, correligionários e dirigentes do Partido dos Trabalhadores, desistiremos da luta. Recorreremos a quantas instâncias forem necessárias para que possamos obter a absolvição de Lula e, assim, mantê-lo como candidato presidencial do PT em 2018. Fidel Castro disse, após a Revolução Cubana de 1959, que a História o absolverá. Da mesma forma, digo que a História absolverá o Presidente Lula."

O parlamentar considera que não há provas consistentes que levem a uma condenação de Lula:
"Até agora, nenhum testemunho, nenhuma acusação é suficiente para ameaçar a liberdade de Lula. Então, ele segue sendo o candidato natural do PT à Presidência da República."
Ainda de acordo com o Deputado Vicente Cândido, esta decisão será ratificada no Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores em junho. Cândido assegura que o PT não raciocina com nenhum outro nome para alcançar o Palácio do Planalto na eleição presidencial de 2018.
Ato pela democracia em São Bernardo do Campo